Entre em contato pelo WhatsApp
Olá! Clique em uma das opções abaixo e nós retornaremos o mais rápido possível.
Laudo de Áreas Classificadas

Laudo de Áreas Classificadas



Laudo de Áreas Classificadas



Laudo de Áreas Classificadas



Laudo de Áreas Classificadas



Laudo de Áreas Classificadas - Adamantina

Laudo de Áreas Classificadas


Laudo de Áreas Classificadas Laudo de Para Raios SPDA Curso de Empilhadeira Elétrica Campinas
Laudo de Áreas Classificadas
  Entre em contato via WhatsApp   Entre em contato via WhatsApp Adamantina

Laudo de áreas classificadas Realizar classificação de áreas onde pode ocorrer a presença de gases ou vapores inflamáveis, de modo a permitir a correta seleção e instalação de equipamentos para uso em áreas classificadas. Atender os requisitos da Norma da ABNT NBR IEC 60079-10:2006 – Equipamentos elétricos para atmosferas explosivas – Parte 10: Classificação de áreas.

Exigência legal
Este trabalho atenderá às exigências da NR 10 da Portaria 598/04 do Ministério do Trabalho e Emprego, no tocante a “Áreas Classificadas” e NBR5418:1995- Instalações elétricas em atmosferas explosivas.

Programação :
No desenvolvimento deste trabalho serão realizadas as seguintes atividades:

  • •Levantamento de toda a documentação técnica necessária para a execução dos trabalhos de classificação de áreas, tais como desenhos civis, desenhos de layout mecânico de equipamentos, fichas técnicas de segurança de produtos inflamáveis e combustíveis presentes nas unidades, dados de processo, etc.
  • •Análise e eventual transferência de documentos existentes para o meio magnético, quando não disponíveis, para a execução dos trabalhos.
  • •Levantamentos em campo das situações geradoras de riscos de explosões.
  • •Visitas aos locais, para verificação das condições operacionais dos processos assim como das ambientais existentes, tais como: ventilação, concentrações, etc. Além da verificação da segurança de processos, junto ao pessoal especializado dessa unidade.
  • •Definição e projeto da Classificação de Áreas para todos os setores que manipulem, processem ou armazenem inflamáveis, baseado nos serviços acima detalhados e nos Memoriais de Cálculo das áreas de riscos de explosão, considerando as Taxas Máximas de Liberação prováveis por equipamento, ventilação disponível, graus e tipos e fornecendo os volumes de risco calculados.
  • •Elaboração dos desenhos detalhados de Classificação de Áreas, estimados em 3 (três) desenhos no formato A0. Estes desenhos serão desenvolvidos no sistema AUTO-CAD e plotados em cores para permitir uma fácil identificação dos zoneamentos.

 

LAUDO TÉCNICO

Será emitido um Laudo Complementar Conclusivo de Classificação de Áreas acompanhado dos Memoriais de Cálculo correspondentes às principais Fontes de Risco de explosão presentes nos locais, devidamente assinado por profissional responsável e com o recolhimento correspondente da respectiva ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) junto ao CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura e Agronomia).

 

Laudo de Áreas Classificadas

 

O Laudo de Área Classificada é um análise muito importante dentro das empresas, que visa classificar de maneira correta as áreas de uma empresa, para assim detalhar os lugares que possivelmente podem sofrer quaisquer tipos de acidentes relacionados a presença de gases  ou mesmo de vapores inflamáveis.

 

É de extrema importância que todas as empresas, que de fato se preocupam com a saúde de seus funcionários, realizem um laudo de área classificada. Com um laudo de áreas classificadas em mãos, os responsáveis pela segurança da empresa podem:

 

·      Localizar as Áreas Classificadas e dividi-las em classes, grupos e divisões de gases/vapores/poeiras, etc.;

 

·      Controlar a disposição dos equipamentos elétricos na planta da empresa;

 

·      Desenvolver medidas preventivas para minimizar os riscos de incêndio e explosões;

 

·      Identificar e diminuir os riscos no ambiente de trabalho, uma vez que no final do laudo o responsável deverá apontar quais medidas de caráter individual ou coletivo devem ser adotadas, e os níveis de importância de cada ação;

 

Na escolha de uma empresa responsável por elaborar um laudo de áreas classificadas, é importante a seleção apenas de empresas sérias, que possuem em seu quadro de funcionário somente profissionais experientes nesse tipo de análise. É importante citar que as empresas devem fazer também uma indicação de forma geral, para que todos os seus clientes possam sempre melhorar a segurança de seus colaboradores.

 

Ao escolher uma empresa responsável pelo laudo de áreas classificadas, é indicado também que a empresa vá até ao cliente por mais de uma vez, para assim conseguir fazer uma análise ampla da estrutura do cliente, conseguindo assim cobrir diversos pontos que poderiam não serem vistos em apenas uma avaliação.

 

Como funciona a marcação de áreas classificadas

 

Para uma elaboração correta de um laudo de áreas classificadas, é preciso primeiro entender qual o objetivo de realizar esse levantamento. Por definição, uma área classificada é “Todo local sujeito à probabilidade da existência ou formação de uma atmosfera explosiva”. Através desse laudo, a empresa pode identificar possíveis pontos de falha na estrutura de sua planta.

 

Atmosfera explosiva “ é uma mistura de substâncias inflamáveis na forma de gases, vapores, poeiras ou fibras com ar (ou mesmo oxigênio) e quando sob condições atmosféricas, na presença de uma fonte de ignição, a combustão se propaga provocando a explosão.”

 

A fim de evitar que todos os tipos de acidentes, que possuam a origem na formação de uma atmosfera explosiva, é importante que as empresas realizem um laudo de áreas classificadas em cada mudança ocorrida em sua estrutura.

 

A presença de equipamentos elétricos e instalações elétricas em áreas classificadas é considerada um dos principais pontos a serem levantadas durante a elaboração de um laudo de áreas classificadas.

 

Por conta disso, as instalações elétricas em áreas classificadas ou atmosferas explosivas sempre requerem uma atenção especial por parte dos profissionais de segurança, que juntos com os responsáveis pela elaboração do laudo de áreas classificadas, devem levantar os principais pontos de atenção na planta.

 

 

Para garantir que todas as empresas atuem de forma segura, foi adotado em diversos países e também n Brasil, com exceção do estado de Minas Gerais, a norma NBR IEC 60079-14. Nela, há especificação precisa dos pontos principais que um laudo de áreas classificadas deve conter.

 

Nas suas especificações dos princípios de classificação das instalações elétricas em áreas classificadas e zoneamentos, são indicados algumas etapas a serem seguidas, juntamente com as zonas a serem adotas, que vão do 0 ao 2. A probabilidade de formação de atmosferas explosivas que irá definir as classificações de determinadas áreas.

 

Sendo assim, é essencial que existam produtos que formar essas atmosferas explosivas, como gases inflamáveis, líquidos inflamáveis ou também poeiras e fibras de combustíveis, que podem ser expelidos para o ambiente pelos equipamentos utilizados nos processos que representam fontes potenciais de perigo para as instalações elétricas em áreas classificadas.

 

FONTES POTENCIAIS DE RISCO:

São denominadas pelas normas como de grau contínuo, as fontes que geram risco de forma contínua ou durante um grande período de tempo, o que faz com que as instalações elétricas em áreas classificadas necessitem de observação com mais frequência;

 

São chamadas de áreas com grau primário aquelas fontes que podem gerar risco de forma sazonal, mantendo as condições normais de operação;

 

São denominadas de grau secundário as fontes que geram risco somente em condições anormais durante sua operação, e mesmo quando isto ocorre, é somente por períodos reduzidos de tempo.

 

Define-se como condições “normais de trabalho” o cenário de um equipamento operando dentro dos limites aceitáveis pelo qual ele foi desenvolvido em projeto.

 

EXEMPLO DE FONTE DE RISCO PARA INSTALAÇÕES EM ÁREAS CLASSIFICADAS:

Como forma de ilustrar uma fonte de risco de grau contínuo podemos indicar um espaço de trabalho interno de um tanque de retenção de inflamáveis do tipo atmosférico, onde se encontra permanentemente alguma combinação de produtos explosivos enquanto houver produto no tanque.

 

Seguindo esse mesmo exemplo, uma fonte de risco de grau primário será o dispositivo de ar dele, por ocorrer a descarga de vapores do produto a cada acréscimo de produto no compartilhamento.

 

E ainda, seguindo o exemplo do tanque de retenção, pode-se haver um nível secundário representado, por exemplo, por vazamentos, que podem ser gerados por envelhecimento de alguma junta, ou mesmo quebra de algum parafuso, e também por perda do controle de nível de líquido que se encontra no compartilhamento.

 

 

DEFINIÇÕES DE ZONEAMENTOS (Gases e Vapores)

Zona 0 – Local onde a ocorrência de mistura inflamável/explosiva por gases ou vapores é contínua ou existe por longos períodos.

 

Zona 1 – É um local onde a atmosfera explosiva está presente em forma ocasional e em condições normais de operação, sendo normalmente geradas por fontes de risco de grau primário.

 

Zona 2 – É um local onde a atmosfera explosiva está presente somente em condições anormais de operação e persiste somente por curtos períodos de tempo, sendo geradas normalmente por fontes de risco de grau secundário.

 

DEFINIÇÕES DE ZONEAMENTOS (Poeiras e Fibras)

 

Zona 20 – É um local em que a atmosfera explosiva, em forma de nuvem de poeira, está presente de forma permanente, por longos períodos ou ainda frequentemente (estas zonas, igual que gases e vapores, são geradas por fontes de risco de grau contínuo).

 

Zona 21 – É um local em que a atmosfera explosiva em forma de nuvem de pó está presente em forma ocasional, em condições normais de operação da unidade (estas zonas, igual que gases e vapores, são geradas por fontes de risco de grau primário).

 

Zona 22 – É um local onde a atmosfera explosiva em forma de nuvem de pó existirá somente em condições anormais de operação e se existir será somente por curto período de tempo (estas zonas, igual que gases e vapores, são geradas por fontes de risco de grau secundário).




Mais Informações








Compartilhar: