Operador de Caldeira e Vasos de Pressão

Operador de Caldeira e Vasos de Pressão



Operador de Caldeira e Vasos de Pressão



Operador de Caldeira e Vasos de Pressão



Operador de Caldeira e Vasos de Pressão



Operador de Caldeira e Vasos de Pressão

Operador de Caldeira e Vasos de Pressão


Operador de Caldeira e Vasos de Pressão Laudo de Para Raios SPDA Curso de Empilhadeira Elétrica Campinas
Operador de Caldeira e Vasos de Pressão
  Entre em contato via WhatsApp   Entre em contato via WhatsApp

Operador de caldeira e vasos de pressão

Caldeira - O que é?

A caldeira é um gerador de Vapor, a partir de um determinado tipo de combustível (madeira, óleo BPF, gás natural, eletricidade, resíduas) é capaz de transformar essa energia em vapor. 

Caldeiras e vasos de pressão são equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior à atmosférica, utilizando qualquer fonte de energia. 

A panela de pressão que usamos em casa é um exemplo de caldeira.”

O que tem dentro da panela de pressão? A água que está sendo aquecida e por consequência ela vai gerando vapor a partir do momento que chega na temperatura de evaporação. 

Quando se enche demais a panela de pressão você fica com pouco espaço para produção de vapor na parte superior e isso é um perigo! 

Quem já teve a experiência (não muito gratificante) de romper uma tampa de panela de pressão em casa sabe quais são as consequências.

E isso também pode acontecer com as caldeiras. Mas agora imagine o estrago que uma caldeira não pode causar caso não seja seguido as normas de segurança…


 

Itens que compõem uma caldeira


 

  • Sistema de ignição: é como se fosse o acendedor de gás que você tem no fogão elétrico. É o sistema para dar partida na caldeira e queimar esse combustível de gás.
  • Manômetro de pressão: ele diz qual é a pressão interna da caldeira (o operador de caldeira e vasos de pressão precisa ficar sempre atento a essa pressão interna para tomar as devidas providências caso necessário).
  • Pressostato: é aquele equipamento que gerencia a entrada de combustível na caldeira. Ele fica regulado dentro de um parâmetro mínimo/máximo aonde ele vai ligando e desligando a bomba de combustível de acordo com a necessidade de demanda da própria caldeira.
  • Bomba de combustível: ela é quem manda o gás para dentro da caldeira (ela é gerenciada pelo item anterior - o pressostato).
  • Visor de nível: é possível ver através dele a quantidade de água que está dentro da caldeira.
  • Registro geral do vapor: é por onde o vapor produzido no corpo da caldeira vai sair.
  • Válvulas de segurança: quando tem uma pressão demasiada dentro do corpo da caldeira são essas válvulas que vão abrir e liberar o vapor interno da caldeira. Ela é a segurança do operador de caldeira e vasos de pressão. É como se fosse a válvula de segurança da panela de pressão que temos em casa.
  • Saída da chaminé: ela vai extrair a queima do combustível e lançar para fora da casa de caldeiras.
  • Tubulação de aquecimento: é onde passa o calor do combustível queimado para aquecer a água.
  • Corpo da caldeira: é a parte que envolve toda a caldeira.
  • Bomba D’água: ela permite jogar água e abastecer a caldeira.
  • Quadro de comando: aqui é onde o operador vai comandar a caldeira.
  • Sistema de exaustão/ventilação: ele melhora a queima do combustível e tirar os fumos da queima para fora através da chaminé.


 

Quem pode trabalhar como operador de caldeira e vasos de pressão


 

Profissionais legalmente habilitados: Engenheiro nas atividades referentes a projeto de construção, acompanhamento, operação e manutenção, inspeção e supervisão de inspeção de caldeiras e vasos de pressão, em conformidade com a regulamentação profissional vigente no País.

Nenhuma caldeira pode funcionar sem ter a supervisão e inspeção de um profissional legalmente habilitado.

 

Operação de caldeiras e vasos de pressão, aplicação toda empresa com operação de caldeiras e vasos de pressão, para treinamento de Segurança na   Operação de Caldeiras.


Noções de grandezas físicas e unidades;
Pressão;
Pressão atmosférica;
Pressão interna de um vaso;
Pressão manométrica, pressão relativa e pressão absoluta;
Unidades de pressão;
Calor e temperatura;

Noções gerais:
o que é calor,
o que é temperatura;
Modos de transferência de calor;
Calor específico e calor sensível;
Transferência de calor a temperatura constante;
Vapor saturado e vapor superaquecido;
Tabela de vapor saturado;

 

Caldeiras – considerações gerais:
Tipos de caldeiras e suas utilizações;
Partes de uma caldeira;
Caldeiras flamo tubulares;
Caldeiras aquotubulares;
Caldeiras elétricas;
Caldeiras a combustíveis sólidos;
Caldeiras a combustíveis líquidosv;
Caldeiras a gás;
Queimadores;
Instrumentos e dispositivos de controle de caldeiras;
Dispositivo de alimentação;
Visor de nível;
Sistema de controle de nível;
Indicadores de pressão;
Dispositivos de segurança;
Dispositivos auxiliares;
Válvulas e tubulações;
Tiragem de fumaça;
Operação de caldeiras;
Partida e parada;

 

Regulagem e controle :
de temperatura;
de pressão;
de fornecimento de energia;
do nível de água;
de poluentes;
Falhas de operação, causas e providências;
Roteiro de vistoria diária;
Operação de um sistema de várias caldeiras;
Procedimentos em situações de emergência;
Tratamento de água e manutenção de caldeiras;
Impurezas da água e suas consequências;
Tratamento de água;
Manutenção de caldeiras;
Prevenção contra explosões e outros riscos;
Riscos gerais de acidentes e riscos à saúde;
Riscos de explosão;
Normas Regulamentadoras;

 

 

PMTP (Pressão Máxima de Trabalho Permitida) ou PMTA (Pressão Máxima de Trabalho Admissível)

Maior valor de pressão compatível com:

  • O código de projeto;
  • A resistência dos materiais utilizados;
  • As dimensões do equipamento;
  • Os parâmetros operacionais.


 

Segurança no trabalho: constitui situação de Risco Grave e Iminente


 

  • Falta de válvula de segurança com pressão de abertura ajustada em valor igual ou inferior a PMTA. Elas têm que estar ajustadas com a pressão de acordo com o código do projeto. 
  • Não ter um instrumento que indique a pressão do vapor acumulado (manômetro).
  • Não ter um Injetor ou outro meio de alimentação de água, independente do sistema principal, em caldeiras de combustível sólido.
  • Falta de sistema de indicação para controle do nível de água ou outro sistema que evite o superaquecimento por alimentação eficiente.
  • As caldeiras de qualquer estabelecimento devem ser instaladas em “Casas de Caldeiras” ou em local específico para tal fim, denominado “Área de Caldeiras”.
  • Caso a caldeira venha a ser considerada inadequada para uso, o “Registro de Segurança” deve conter tal informação e receber encerramento formal.
  • Os instrumentos e controles de caldeiras devem ser mantidos calibrados e em boas condições operacionais, constituindo condição de risco grave e iminente o emprego de artifícios neutralizem sistemas de controle e segurança da caldeira.
  • Toda caldeira a vapor deve estar obrigatoriamente sob operação e controle de operador de caldeira e vasos de pressão. O não atendimento a esta exigência caracteriza condição de risco grave e iminente. Por isso é importante a empresa oferecer cursos e treinamentos para operador de caldeira e vasos de pressão.


 

Classificação das Caldeiras


 

  • Categoria A: pressão de operação é igual ou superior a 19,98 Kgf/cm²
  • Categoria B: caldeiras da categoria “B” são todas as caldeiras que não se enquadram nas categorias A e C.
  • Categoria C: pressão de operação é igual ou inferior a 599 Kgf/cm² e volume interno é igual ou inferior a 100 litros.


 

Tratamento da água


 

A qualidade da água deve ser controlada e tratamentos devem ser implementados quando necessários para compatibilizar suas propriedades físico químicas com os parâmetros de operação da caldeira.

Manutenção de Caldeiras


 

  • Todas as intervenções que exijam mandrilamento ou soldagem em partes que operem sob pressão devem ser seguidas de teste hidrostático, com características definidas pelo profissional habilitado.
  • Os sistemas de controle e segurança da caldeira devem ser submetidos à manutenção preventiva ou preditiva.
  • As caldeiras devem ser submetidas a inspeções de segurança inicial, periódica e extraordinária, sendo considerado condição de risco grave e iminente se não realizado.


 

Inspeção de Segurança Inicial

A inspeção de segurança inicial deve ser feita em caldeiras novas, antes da entrada em funcionamento, no local de operação, devendo compreender exames internos e externo, teste hidrostático e de acumulação.

Inspeção de Segurança Periódica

A inspeção de segurança periódica, constituída por exames interno e externo, deve ser executada nos seguintes prazos máximos:

  • 12 meses - caldeiras categorias A, B e C;
  • 12 meses - caldeiras de recuperação de álcalis de qualquer categoria;
  • 24 meses - caldeiras de categorias A, desde que aos 12 meses sejam testadas pressões de abertura das válvulas de segurança.
  • 40 meses - caldeiras que operam de forma contínua e que usam gases ou resíduos das unidades de processo.

Inspeção de Segurança Extraordinária

  • Sempre que a caldeira for danificada por acidente ou outra ocorrência que comprometer sua segurança;
  • Quando a caldeira for submetida à alteração ou reparo importante;
  • Antes de a caldeira ser recolocada em funcionamento, quando permanecer inativa por mais de 6 meses;
  • Quando houver mudança de local de instalação da caldeira.


 

Válvulas de Segurança


 

As válvulas de segurança devem ser inspecionadas pelo menos uma vez por mês, mediante acionamento manual da alavanca, em operação, para caldeiras das categorias B e C.

  • Desmontar, inspecionar e testar em bancada as válvulas flangeadas e, no campo, as válvulas soldadas, recalibrando-as numa frequência compatível com a experiência operacional da mesmo.  

Testes de acumulação:

  • Na inspeção inicial da caldeira;
  • Quando forem modificadas ou tiverem sofrido reformas significativas;
  • Quando houver modificações nos parâmetros operacionais da caldeiras ou variação na PMTA;
  • Quando houver modificação na tubulação de admissão ou descarga.


 

Você acabou de conhecer um pouco sobre o trabalho de um operador de caldeira e vasos de pressão. Se você quer ser um operador de caldeira e vasos de pressão capacitado, conheça nossos cursos e treinamentos para operador de caldeira e vasos de pressão


 

Confira nossos treinamentos. CLIQUE AQUI!

 




Mais Informações








Compartilhar: